Billboard entrevista Super Junior-D&E na “KCON LA 2017”

Postado por Ju-Ninha no dia 12/09/17 em Entrevistas

Super Junior-D&E conversou com a Billboard em Los Angeles, onde a sub-unit do Super Junior se apresentou na KCON LA, uma das maiores convenções de K-pop do mundo.

Confira a tradução da matéria publicada na coluna “K-pop” no site da Billboard logo abaixo!

Sub-unit Super Junior-D&E em concertos em EUA e legado do grupo: “Nós dois estamos representando o Super Junior”

Quando os DongHae (Lee Dong Hae) e EunHyuk (Lee Hyuk Jae) do Super Junior foram apresentados à multidão no Staples Center no mês passado como “Pioneiros do K-pop” e “Reis do K-pop”, foi difícil negar os gritos enquanto a plateia se animava, lightsticks azuis safira acenavam na batida do ritmo. Para um grupo que não era suposto ser permanente, a boyband marcou inegavelmente a indústria da música da Coreia do Sul e a aparição da sub-unit Super Junior-D&E na “KCON LA 2017” foi um sinal infalível de que o grupo ainda tem o que é necessário para animar uma multidão.

“A performance de hoje é importante porque nem todos do Super Junior puderam vir; somos apenas nós dois se apresentando”, disse EunHyuk à Billboard antes da apresentação da dupla. “Por causa disso, há um senso de responsabilidade e uma ideia de que dois de nós representamos o Super Junior como um todo”.

Precedendo o surgimento do K-pop internacionalmente, Super Junior foi um dos artistas masculinos dominantes no final dos anos 2000, após o sucesso de “Sorry Sorry” em 2009, o tornou um líder inegável na indústria. Com seu eletro-pop conduzido por coreografia e o imenso tamanho do grupo – havia 13 ou 15 membros no auge, dependendo de quem você pergunta – a boyband formou o som e a aparência de muitos artistas que vieram a seguir.

Sonoramente, a banda tipicamente, mas nem sempre, favoreceu as faixas de dança bem sucedidas tingidas com R&B e baladas melódicas que enfatizam os vocais harmoniosos do grupo. Super Junior fez uma mudança para um som mais maduro nos últimos anos, com alguns de seus últimos singles, como “This Is Love” de 2014 e “Devil” de 2015, movendo-os para um som pop groovier e mais elegante e longe de seus mais animados, ocasionalmente à beira de sentimental, estilo passado.

O surgimento do YouTube e das mídias sociais em particular desempenhou um papel na crescente popularidade do grupo em todo o mundo, a dupla reconhece, como tem em todo o K-pop. “Mesmo quando estreamos pela primeira vez [em 2005], K-Pop e a onda Hallyu não eram tão extensas”, disse EunHyuk. “No entanto, hoje através do YouTube, da internet e das mídias sociais, é muito mais fácil e rápido para que a informação se espalhe. Isso me deixa feliz em ver que o K-pop se espalhou ativamente para vários lugares ao redor do mundo”.

Envelhecimento graciosamente na cena K-pop orientada para jovens, o grande número de membros do Super Junior ajudou o grupo a permanecer relevante: Muitos deles são conhecidos como atores ou personalidades da televisão e sua versatilidade geral permitiu que os artistas explorassem uma variedade de gêneros e idiomas através de lançamentos solo e em sub-grupos menores. D&E é um destes sub-grupos.

Equilibrar suas identidades brincalhonas com seu lado mais suave quando a idade dos membros significou uma mudança na música do Super Junior, mas ainda mais com o Super Junior-D&E. O duo lançou sua primeira faixa, “Oppa Has Risen (Oppa, Oppa)”, em 2011, como uma faixa de hype de nu-disco funk criada para ser apresentada em concertos. Eles ganharam rapidamente uma reputação de campy retro-pop, mas D&E também apresentou singles sentimentais R&B-tinged, seguindo a mesma direção criativa do som do Super Junior em geral.

“Quando as pessoas pensam em D&E, elas geralmente pensam em toda música divertida, alegre e emocionante que temos”, disse DongHae. “Eu gostaria de recomendar as músicas mais suaves e tristes que lançamos antes de partir para os deveres militares”. Como exemplos, ele apontou para “Growing Pains” e “Still You”, ambas canções que eles apresentaram mais tarde naquela noite.

Embora o serviço obrigatório da Coreia do Sul tenha interrompido a carreira de muitas celebridades coreanas, o grande número de integrantes do Super Junior ajudou o grupo a prosperar e alternar os membros enquanto o grupo maior permanece ativo. D&E se alistou no serviço militar obrigatório da Coreia do Sul em 2015 e foi dispensando em julho, semanas antes da sua performance na KCON. Enquanto eles não tinham músicas novas para compartilhar, porque eles estavam de plantão militar durante esse período, os dois estavam exuberantes em sua primeira aparição em Estados Unidos após muito tempo e mostraram dançando ao redor do palco enquanto a multidão cantava.

“O que é significativo é que, há dois anos, o último lugar em que nos apresentamos nos EUA antes de nos alistarmos foi realmente Los Angeles. Staples Center [na KCON]”, disse EunHyuk. “Ter nossa primeira performance de retorno aqui também torna essa experiência realmente especial. E por causa de nosso hiato, cada performance que temos é realmente especial e significa muito para nós. Nós também somos responsáveis ​​por fazer com que nossos fãs fiquem animados para o nosso novo oitavo álbum, o que esperamos fazer através da nossa performance nesta noite”.

No 12º ano, a boyband está com alguns membros ativos e apenas sete dos principais membros do grupo participarão no próximo álbum: DongHae, EunHyuk, LeeTeuk, HeeChul, YeSung, ShinDong e SiWwon. Dois, RyeoWook e KyuHyun, estão no exército. Outros dois, Zhou Mi e Henry, não são considerados membros do grupo principal e geralmente são designados para trabalhar principalmente em faixas de língua chinesa com outros membros sob o sub-grupo Super Junior-M. O dois últimos, KangIn e SungMin, estão no hiato; o primeiro por causa de incidentes de condução em estado de embriaguez e o último depois que os fãs pediram que ele deixasse o grupo devido a supostos maus-tratos deles após seu casamento. Dois ex-companheiros de grupo, Han Geng e Kim KiBum, estão ausentes do grupo por mais de cinco anos.

Embora lançar um álbum ao longo de uma década em sua carreira não é inédito para o K-pop, é raro: Super Junior é um dos poucos artistas coreanos a permanecer ativo desde o início até o presente sem se separar. Eles também são um dos mais antigos, com vários membros mais próximos em idade de outros artistas coreanos icônicos como H.O.T. (a primeira verdadeira boyband do K-pop) do que a boyband do momento BTS. Mas eles ainda estão no jogo e reconhecem a importância disso.

“De certa forma, temos um pouco de orgulho por isso”, disse EunHyuk. “Como eu disse antes, mesmo quando debutamos, havia falta de conteúdo e oportunidades para popularizar o K-Pop. Sentimos que somos capazes de vincular as [gerações] através de nossas performances, o que estamos orgulhosos de fazer”.

Mas só porque eles ficaram por um tempo, dificilmente significa que o Super Junior vai descansar nos louros de seus sucessos passados ​​- a promessa de novas surpresas certamente animam seus fãs, conhecidos como ELF ou EverLasting Friends. Juntamente com a renovação de sua música para atender melhor homens que agora são mais do que juniors na indústria, o grupo planeja se concentrar em reconectar-se com sua audiência global, dois anos desde o último álbum.

“Estamos performando há cerca de 10 anos, mas nos próximos anos, planejamos mostrar uma variedade de conteúdos diferentes, incluindo álbuns, música, vídeos, filmes e dramas para atualizar e mostrar o quanto crescemos”, disse DongHae.

EunHyuk adiciona: “Embora o grupo seja ativo há mais de 10 anos, não tivemos a oportunidade de atuar tanto nos EUA. No futuro, trabalharemos mais e planejamos nos apresentar para os nossos fãs amorosos do K-Pop nos EUA com mais frequência”.

Billboard
Tags:
Compartilhe!