[SUJUbr na Coreia] Um diário ELF #12: O high five com o RyeoWook no “Gyeryong Military Culture Festival”

Postado por Ju-Ninha no dia 19/01/18 em Notícias Vídeos

Na décima segunda postagem sobre a nossa viagem até a Coreia do Sul vamos contar como foi a nossa ida ao “Gyeryong Military Culture Festival”, ver o RyeoWook cantar, conseguir um high five com ele, dar uma entrevista bem louca para a SBS e conhecer um amigo do RyeoWook.

“Gyeryong Military Culture Festival”

Podemos dizer que o “Gyeryong Military Culture Festival”, também conhecido como “Army Festival” ou “Festival do Exército”, é o #2 da categoria de “Experiências mais surreais da nossa viagem”. Antes de começar a contar a história deste dia incrível, vale lembrar que o RyeoWook é o bias da Mariana, a Mah, então a reação dela nos vídeos do evento é a melhor de todas.

O festival ocorreu entre os dias 08 e 12 de outubro de 2017 na cidade de Gyeryong, em Chungcheongnam-do.

Nós escolhemos ir no dia 08, pois a Mah pesquisou a programação e viu que o RyeoWook iria se apresentar na cerimônia de abertura. Ele iria participar dos outros dias também, mas decidimos que ir no primeiro dia do festival era a melhor escolha.

Para ir até lá seguimos a orientação do Visit Korea, site de turismo do governo coreano que posta diversas informações sobre eventos e atrações turísticas. Conforme orientado, fomos até a estação de metrô Nambu Bus Terminal e pegamos o ônibus intermunicipal Gyeryong Sindoan depois de quase comprar a passagem pra cidade errada porque tinha uma outra cidade com o nome parecido e saber pronunciar Gyeryong de forma correta também foi difícil. Foi aí que a nossa aventura começou.

Nós pegamos um desses ônibus de viagem super confortáveis e foram cerca de 2 horas para chegar até Gyeryong. Durante o caminho, o motorista dava avisos em coreano e é claro, a gente não entendia nada. Como tinham soldados no ônibus, achamos que estávamos no caminho certo porque eles não davam sinal de que iriam descer tão cedo. Como os avisos do motorista não paravam, decidimos perguntar para um soldado que estava no ônibus se estávamos no caminho certo e escolhemos perguntar para ele por que ele estava assistindo um filme no ônibus com legendas em inglês. Fomos muitas espertas hein hein?

Ele confirmou que estava certo e que ele iria descer próximo ao local do festival. Como estava muito trânsito, o motorista simplesmente decidiu parar em um ponto da cidade e pediu para o soldado nos ajudar a chegar ao local do festival.

Para nossa surpresa, o soldado disse que a mãe dele estava a caminho para buscá-lo e nos ofereceu uma carona. Até aí já foi meio louco né? Pegar carona com a mãe do soldado. Mas quando o carro chegou estava um rapaz dirigindo (a gente acha que é irmão dele), a mãe e mais duas crianças. Ele e nós três tínhamos que entrar no carro e assim começou a sessão de micos. Muito apertadinho e com muito risos de nossa parte e da mãe dele, muito fofa, rindo do outro lado, fomos todos de carro apertados até o local do festival. E essa foi mais uma para o nosso arquivo de “Isso só acontece com a gente”. No caminho o soldado conversou bastante com a gente, foi muito fofo, nos ajudando com algumas dúvidas de placas e outras coisas que a gente teve ao longo dos dias da viagem até então. A família dele nos deixou bem em frente da entrada do festival. Agradecemos muito pela carona e fomos ao encontro do RyeoWook.

O festival é muito lindo. Cheio de exibições de tanques de guerra, manobras aéreas dos aviões das forças aéreas, armas, tudo o que uma pessoa que lê sobre as brigas entre o Norte e Sul iriam dizer: “Vocês são loucas? O que você foram fazer lá durante a tensão entre as Coreias?”. Fomos ver o RyeoWook e isto é o que importa. Como o sábio Simba, filho de Mufasa, diz: “Perigo ah! Eu rio na cara do perigo hahahaha” (Se você não entendeu vá assistir “O Rei Leão” por favor).

Chegar perto do palco principal foi tarefa difícil. Tem cadeira para o pessoal sentar mas eles preferem o que? Ficar em pé e atrapalhar a sua visão. Quando a gente viu que algumas cadeiras estavam vazia corremos para lá e ficamos em frente ao palco e vimos performances de mini cheerleaders e do grupo feminino CLC (que gente acabou vendo outra apresentação delas sem querer em Seoul).

Muitos fãs do RyeoWook e de outros ídolos que estão no exército, como o Siwan do ZE:A, estavam lá com posteres e banners para mostrar seu apoio. É claro que nós estávamos preparadas com a nossa linda bandeira do SUJUbr lá, mostrando que tinha até fã brasileiro lá para dar apoio ao RyeoWook.

Eis que ele surge no palco para cantar “The Little Prince”. Enquanto no palco estava tudo lindo e a Ju e a Mah fazendo fancams grudadas na grade, a Nah ficou encarregada de guardar o lugar e cuidar de nossas mochilas. Só que a gente não imaginava que o caos iria rolar. Fã no geral quando vê ídolo meio que perde a noção da vida e da educação né? Se isso acontece no Brasil que dirá na Coreia. Nós tivemos as nossas mochilas, que estavam bonitinhas nas cadeiras, pisoteadas e até mesmo chutadas. A Nah foi uma goleira e agarrou tudo enquanto mostrando seu “sou do país do futebol” enquanto as outras duas estavam lá na grade chorando pelo oppa. Além de salvar as mochilas, a Nah ainda teve que tirar foto depois do surto psicótico da Ju que em um momento de desespero gritou “Meu celular morreu tira foto aê mano!!!!!!”. Mais uma do “Isso só acontece com a gente”.

Depois de cantar “The Little Prince”, o RyeoWook se juntou aos demais astros do exército e cantaram “Good Friends” do Super Junior, que temos fancans exclusivas sim!

Os soldados ídolos ainda desceram do palco e para cantar próximo do público e a Ju só grita: “É hoje Mariana, É hoje Mariana” e quando eles estavam chegando perto de onde nós estávamos, as loucas coreanas que chutaram as mochilas começaram o caos e eles desistiram de ir lá. Foi aí que a Ju só grita: “Na Traveeeeeeeeee”.

No final da performance a gente só conseguiu entender “high five” e vimos as coreanas indo em direção a uma outra ala. Então nós fizemos o mesmo. Em seguida a gente entendeu o que ia acontecer: O RyeoWook e os outros soldados idols foram até a grade cumprimentar os fãs posando para fotos e fazendo high five. Foi quando a Ju e a Mah, começaram a sofrer por antecipação e a Nah apenas ria. Enquanto o RyeoWook se aproximava a gente estava preparada para tirar foto e filmar o momento. A Nah, que estava rindo do desespero das duas, simplesmente com a maior calma do mundo colocou o celular na frente do RyeoWook e tirou uma foto linda.

Eis que ele chega perto com aquele sorriso lindo e pega na nossa mão. A sensação foi de “Goooooooooooooollllllllllllllll” que vocês podem ver melhor no nosso vídeo logo abaixo (assista no final que ainda tem muita história a seguir).

No twitter vocês perguntaram se a mão do RyeoWook é macia, certo? A Mah responde a pergunta de todos vocês no vídeo.

Missão do dia cumprida 1x

Depois deste momento, ainda um pouco em estado de choque, a SBS veio entrevistar as meninas que estavam com aquele olhar de “vou morrer porque peguei na mão do oppa”. Um repórter tentou falar com as coreanas e elas não quiseram. Aí ele veio na nossa direção mais avisamos que não falamos coreano. Pensando “Poxa perdemos a chance de botar a cara de novo na TV coreana”, eis que surge um outro repórter para falar com a gente em inglês. Enquanto as coreanas correm e escondem a cara, lá estavam as 3 brasileiras loucas, cara de pau como sempre para mostrar que o Brasil está para apoiar o Super Junior. Mas foi um caos / meio vergonhoso. Mesmo falando o nome do RyeoWook errado com a ajuda do repórter (vocês sabem melhor do que a gente: falar RyeoWook e EunHyuk é o mais difícil na vida de ELF e ainda mais depois de pegar não mão de um membro do Super Junior seu cérebro não está raciocinando direito não é mesmo?), a gente falou que era do Brasil, que estava emocionada e só conseguia falar “Super Junior fighting”. A gente não sabe ao certo se essa entrevista foi transmitida, procuramos e não achamos (e no fundo ficamos aliviadas por que foi bem vergonhoso) mas falamos que fomos lá especialmente para ver o RyeoWook a apoiar o Super Junior. O repórter achou legal, perguntou quando a gente chegou, quando ia embora, de onde a gente era, se era fã site respondemos tudo com muita simpatia. Quem sabe ele falou para o RyeoWook nos bastidores? Ah: O repórter é aquele de casaco marrom / bege na primeira foto deste post.

Com a sensação de missão cumprida 2x chegou a hora de ir embora do festival e voltar para Seoul, pois o caminho era longo. Aí veio a pergunta: “Como faz para ir embora?”. Fomos até uma tenda de informações e foi mais um caos. Até achar alguém que falasse inglês demorou um pouco. Eis que surge um soldado muito fofo (e lindo demais) que nos ajudou. Depois de muito conversar entre eles, o soldado disse que ele e o chefe dele iriam nos levar até um ônibus que iria nos deixar em Daejeon e de lá nós iríamos pegar um outro ônibus até Seoul.

Fomos literalmente escoltadas até o ônibus pelo superior do soldado (e provavelmente do RyeoWook). Por um momento cercadas de soldados, a gente estava se sentindo no drama “Descendants of the sun”.

Durante nossa caminhada, o soldado e o superior nos fez várias perguntas sobre o Brasil e sobre a nossa visita a Coreia. Foi aí que em um momento nós passamos do lado de um banner do RyeoWook e na brincadeira perguntamos se a gente podia levar o banner para casa. Foi aí que o soldado disse com uma cara de surpreso: “Vocês conhecem ele? Sabia que ele dorme no quarto ao lado do meu?”. Foi o suficiente para a gente dar uma surtada de leve e fazer perguntas sobre o RyeoWook, afinal de contas, estávamos falando com um amigo do RyeoWook. A gente perguntou mais uma vez como se pronuncia o nome dele (ainda traumatizadas, porém rindo, do mico da entrevista da SBS) a Nah, sempre muito direta, perguntou se o RyeoWook ronca. Surpreso com a pergunta, o soldado disse que não (a gente ficou surpresa que ele ainda respondeu). Nós não levamos a Havaianas para o RyeoWook neste dia, porque sabemos que soldados não podem receber presentes (pelo menos durante o evento), mas perguntamos se ele poderia entregar um presente para o RyeoWook. Entregamos a nossa bandeira para ele, que prometeu que iria entregar no mesmo dia. Perguntou nossos nomes dizendo que ia falar para ele (mas só decorou o nome da Ju) e se despediu de nós.

Portanto, RyeoWook recebeu um presente/apoio de fãs brasileiros que foram até o festival do exército para vê-lo SIM.

Missão cumprida 3x e mais uma para a nossa coleção de “Isso só acontece com a gente”.

Você deve estar se perguntando: Para o RyeoWook vocês entregaram só a bandeira?
Não. A Havainas dele foi entregue sim, mas de uma outra maneira assim como as dos outros membros.

Assista as fancans logo abaixo e veja fotos na Galeria SUJUbr!

SUJUbr
Tags: , , ,
Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *