Entrevista completa de RyeoWook para “PlayDB”

Postado por Ju-Ninha no dia 17/12/15 em Entrevistas

No dia 02 de dezembro, RyeoWook conversou com o portal “PlayDB” e falou sobre a peça “The Curious Incident of the Dog in the Night-Time”, além de falar sobre seus planos para o futuro, confirmando que está trabalhando em um álbum solo.

Confira a entrevista completa!

“The Curious Incident of the Dog in the Night-Time” é uma peça muito comentada sobre a apresentação do teatro UK West End, que ganhou três prêmios “Oliver” em 2013.

Representa a história de um garoto autista de 15 anos de idade, Christopher, tratando de descobrir quem matou o cachorro do vizinho. A primeira apresentação na Coreia despertou a curiosidade do público, antes mesmo da abertura das cortinas – desde belos cenários até o estilo muito pessoal de dirigir os atores que fizeram seus personagens extraordinários.

RyeoWook, que está protagonizando Christopher– o garoto que corajosamente entrou no mundo para resolver o mistério que se deu após a morte do cachorro do vizinho Wellington – estava atuando com um coração que fez ainda mais sólido que da vez anterior. Ele confessa “Quando comparo a viagem de Christopher a Londres com minha própria vida, me lembro dos tempos quando lutei depois de decidir participar da peça, que se entrelaça com a forma como me olham nesse momento. Igual Christopher, que deu um passo a frente, eu também consegui o crescimento pessoal através desta peça”. “The Curious Incident of the Dog in the Night-Time” é perfeito para RyeoWook que enquanto está gastando os últimos dias de seus 20 e entrando em seus 30 anos.


PlayDB: Como chegou a ser parte desta produção? Essa é sua primeira peça de teatro.

RyeoWook: Quando eu estava realizando o musical Agatha, cheguei a conhecer Kim Sooro (diretor) e pensei “quero trabalhar com ele de novo” se houver alguma oportunidade. Quando recebi sua proposta, li o livro primeiro. Originalmente, me disseram que eu teria poucas linhas, então eu pensei que era o caso… Porém, o livro foi escrito a partir da perspectiva de Christopher. Me perguntava “quem vai ler o livro se eu tiver apenas algumas linhas?”. Mais tarde, li o roteiro e descobri que eu tinha muitas linhas e muitas delas eram compostas por palavras difíceis no primeiro ato, o que fez eu me sentir sufocado. Mas decidi participar só depois de ler a última linha do segundo ato. Christopher disse “Isso significa que posso fazer qualquer coisa?” Como uma oração interrogativa e eu gostei.
Ele não disse “Posso fazer qualquer coisa” com confiança. Em vez disso, ele questiona o oponente. Eu gostei disso porque soa como se eu estivesse fazendo uma pergunta para o publico. As pessoas me dizem coisas como: “Ryeowook, não tem que fazer isso”, “Você ganha o suficiente para viver” e “Você está muito ocupado agora”. Por outro lado, sei que é de boa maneira e só se preocupam comigo, mas as vezes me pergunto “Por que todo mundo tem que dizer isso?”.
Essa é uma peça de teatro e tenho muitas linhas para decorar. Igual a apresentação de musical, tenho que fazer muitas coisas. Me perguntava por que todo mundo me dizia para não fazer. “Eu posso fazer. Você pode fazer também. Nós podemos fazer qualquer coisa”. A última mensagem de Christopher me pegou em casa. Era como se eu estivesse falando comigo mesmo. Este é um novo desafio para mim. E assim como o Christopher, queria me perguntar se eu realmente podia fazer isso.

Quero escutar seus pensamentos sobre sua primeira atuação.

Desde que pensei que não seria capaz de fazer qualquer outra coisa no futuro se eu não conseguisse fazer isso agora, decidi que teria minha primeira atuação pouco antes das cortinas se abrirem. Estava absorvido em me converter no Christopher assim que dediquei meus melhores esforços nas práticas durante dois meses, assim como faço as transmissões de radio. Ainda tenho arrependimentos, mas estou agradecido porque terminei minha apresentação sem nenhum acidente. Não importa que apresentação estou realizando, penso que deveria ser “O único” e não “O número um”. Há três atores que interpretam o Christopher e portanto pode virar uma competição. Eu poderia querer fazê-lo melhor que os outros dois. Mas mais do que tudo, eu só queria fazer do Christopher um personagem que só eu pudesse mostrar.

Ouvi dizer que você foi ver o elenco original no Reino Unido.

Eu tirei um dia de descanso e fui ver a apresentação já que estava no Reino Unido devido a minha agenda. Estava triste porque só poderia ver uma vez. Gostei muito da apresentação que queria vê-la novamente com elencos diferentes, mas era difícil devido aos horários apertados que tinham. Me consolei pensando que tive a sorte de ver pelo menos uma vez, enquanto há muitos outros atores que não tiveram a oportunidade de ver o elenco original. Christopher é um garoto autista, e quando vi o elenco original, senti que o Christopher que apresentaram era muito diferente do que eu imaginava de um garoto autista. Ele era um pouco falador e tinha festos detalhados com as mãos. Senti que só era um pouco diferente das pessoas comuns nesse sentido. E no Reino Unido a história se desenrola em um ambiente mais animado, que é diferente de nós. Isso me veio como uma novidade.

A maneira que Christopher fala é muito original. Como você lidou com isso?

Queria fazer uma diferença em relação a forma de falar enquanto interpretava o personagem Christopher. Fui criando com base da minha própria maneira de falar. Eu sou o mais jovem do Super Junior e talvez porque tenho muitos amigos que são mais jovens do que eu, eu pareço mais jovem comparado com outros com a mesma idade que eu, a comparação de demonstrar a minha imagem mais madura. Na peça, Christopher utiliza uma linguagem formal e termina as frases com 다 (da), 나 (na), 까 (kka) (* é uma linguagem honorífica/ uma maneira muito formal de falar, geralmente utilizada no exército). Mas eu decidi que só vou falar formalmente assim com estranhos. Vou falar menos formal com os pais do Christopher e com a professora Siobhan, que ele a consideram como uma amiga. Uma vez que decidi isso, as linhas ficaram mais naturais e mais fácil de memorizar. Quando atuo, desenho imagens na minha cabeça e trato de ver o panorama completo. E tomar essa decisão tornou mais facil olhar essa imagem mais claramente. Acredito que também ajuda o publico a pensar no porque desse garoto falar dessa maneira.

Pode falar mais sobre Christopher?

Christopher é um garoto autista de 15 anos de idade, com a síndrome de Asperger, mas ele é um gênio. Eu aprendi que há muitos tipos de autistmo e que muitas das crianças autistas tem dons de habilidades como a arte ou a memorização. No caso do Christopher, ele é matemático e ele é bom no uso de metáforas, apesar de ele não entender metáforas. Diz coisas como “acredito que a vida é como os números primos”. Ele casualmente fala de coisas que nós jamais podemos imaginar.
E quantos anos viveu esse garoto? Há cenas que me fazem pensar “deve haver uma profunda cicatriz no estômago desse garoto”. Na última cena, quando ele está tendo uma conversa com Siobhan, ele lhe pergunta se é “porque é incontrolável”. É certo que Christopher é barulhento e difícil de controlar. Mas o fato dele mesmo dizer isso…me faz pensar em quantas pessoas já haviam dito isso. E quando pensei sobre isso, só queria abraçar o Christopher. Igual como Christopher abraça a Sandy (*a cachorra) na ultima cena. Abraço Sande fortemente nessa cena porque quero que o publico abrace Christopher da mesma maneira.

Qual foi a cena mais memorável para você?

Há uma cena em que Christopher fala “isso me parece tão pequeno”, enquanto olhava as estrelas. Ele disse que “inclusive se você tem coisas difíceis na vida, você se sente bem se pensar que eles são insignificantes”. Esse garoto pensa em algo tão maravilhoso como isso enquanto olha as estrelas e isso me da vontade de chorar. Na verdade, nossa vida é uma série de evento insignificantes e deve ser algo como um movimento de formigas (ou como os seres humanos os vê). mas vivemos cada dia com força e luta. Depois de que esta entrevista acabar, tenho que ir trabalhar de novo e amanhã vou terei outra apresentação. Não coisas como essas, se vê em comparação com o universo, são como um pedaço de poeira? Nesse sentido, penso que as coisas que eu acho difíceis podem não ser tão difíceis assim. Pessoalmente, essa cena é a cena mais confortante.

Em cada apresentação que você realizou até o momento, foi capaz de mostrar a imagem de um garoto frágil, inocente como a sua. Alguma vez se sentiu arrependido de estar preso nessa imagem?

Não acredito que isso signifique que não posso fazer outra coisa. Não sei se só porque eu não fiz ainda. Poderia ser o seguinte passo que tomarei depois de que tenha terminado com isso. Meu objetivo é alcançar o que posso fazer primeiro. Estou muito satisfeito agora, porque, se pensar sobre isso, não é fácil representar cinco personagens adolescentes diferentes de uma só vez.

Este ano, você se apresentou no palco (musical/teatro) com mais frequência que nos anos anteriores, com “Agatha”, “The Goddess is Watching” até o espetáculo de agora.

A razão pela qual estou me apresentando no palco com mais frequência que nos anos anteriores é grande parte devido a Jung Wonyoung. O conheci enquanto estava realizando “Agatha” e agora ele também está fazendo um programa de rádio comigo. Nós mantemos contato e somos bons amigos. Ele me disse “é bom fazer parte de três espetáculos por ano”. Ele me disse que serei capaz de alcançar um crescimento pessoal e ganhar muito dele. Também tive o pensamento de que queria me mostrar nos palcos com mais frequência e desejava que cada espetáculo não terminasse como um mero projeto de trabalho. Então quando ele me disse, eu inconscientimente decidi que faria o mesmo se pudesse, e foi isso que aconteceu esse ano!
Felizmente, tive a oportunidade de participar de “The Goddess is Watching” novamente e foi então quando o diretor me elogiou pela primeira vez. para ser honesto, me faltava confiança antes, mas agora ganhei muita confiança.

É surpreendente que Ryeowook do Super Junior ainda tenha pouca confiança depois de dez anos de seu debut.

Em comparação com os outros membros, eu sofri com a falta de confiança e me escondia atrás chamando de “consideração”. Faça o que quiser, me preocupava e deixava que outros membros fossem primeiro. Pode-se dizer que eu me preocupava com eles, mas na verdade era que eu simplesmente não tinha a confiança suficiente. Tenho que tomar coragem para fazer bem tudo o que eu faço. Se eu não fizer uma escolha, não posso fazer nada. Por isso que quero agradecer o Wonyounh que me ajudou a tomar coragem.

Qual é seu plano para o futuro?

Mais uma vez, ir aos ensaios foi a cura para mim. Eu gosto muito dos meus colegas atores e ir aos ensaios, jogar voleibol e comprar cafés para eles…. Como essas recordações amontoadas uma por uma, tive a oportunidade de começar a prática com um bom humor e começar a atuar com bom humor também. Sou capas de terminar cada dia de bom humor. Eu fiz 3 apresentações até agora e só assinei o contrato por vinte apresentações, só tenho dezessete restantes. Cada apresentação é preciosa para mim. Antes de terminar, quero conhecer o Christopher que está se desenvolvendo e crescendo.
Por outro lado, eu estou no meio de preparativos, porque quero mostar “o cantor Ryeowook” antes de me alistar ano que vem. Acredito que o álbum será lançado em breve. Em conclusão, quero mostrar a mim mesmo no palco em qualquer forma que seja. Tanto se for cantando, atuando ou em shows de variedades, quero que todo mundo fique feliz por mim.

Por último, de onde RyeoWook, como um ser humano, encontra a felicidade?

As vezes me sinto vazio apesar de ter feito tudo o que tenho pra fazer. Mas mesmo quando me sinto cansado, encontro a felicidade e a alegria em meus colegas que se preocupam comigo e meus companheiros atores que atuam comigo. Antes de começar minhas apresentações, Kyuhyun me chamou e me convidou parar sair e beber. lhe disse que não podia porque eu só tinha duas semanas antes da minha primeira apresentação e não tinha tempo suficiente. Mas quando pensei sobre isso, era Kyuhyun quem estava mais ocupado que eu e ainda assim me convidou para sair, assim que não pude dizer que não. Antes, éramos os amigos que conversavam um com o outro enquanto estávamos deitados na mesma cama e limpávamos as lágrimas do outro se alguma vez alguém chorava enquanto falava. Então pensei: “Nós esquecemos de como costumávamos compartilhar mesmo uma coisa pequena, trivial que fosse, entre nós dois e agora temos agendas lotadas?”. Estava agradecido com Kyuhyun porque não se esqueceu de mim e veio até mim primeiro. Devido a isso, pude aliviar meu estresse. Eu mudei de ideia e disse: “ir mais rápido não é sempre a resposta” e “vou caminhar com alegria, mesmo se tiver que ir em um ritmo mais lento”. Assim que me senti relaxado ainda que tivesse muitas coisas para fazer. É assim como o homem Kim Ryeowook se converte el alguém confortado e encontra a felicidade.

PlayDB | MXRyeosomnias | BShirubi | Tradução: MahL@SUJUbr
Tags: ,
Compartilhe!